Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.uca.edu.ar/handle/123456789/14567
Título : Só a realidade é capaz de contar tudo: imaginário midiático em três décadas de literatura argentina
Autor : García, José Mariano 
Palabras clave : LITERATURA ARGENTINAPuig, Manuel, 1932-1990MEDIOS DE COMUNICACION DE MASASAira, César, 1949-López, Alejandro, 1968-ANALISIS LITERARIOCRITICA LITERARIA
Fecha de publicación : 2017
Editorial : Syntagma Editores
Cita : García, M. Só a realidade é capaz de contar tudo: imaginário midiático em três décadas de literatura argentina [en línea]. En: Klein, A., Hertz Wendel de Camargo, H. (organizadores). Mitos, mídias e religiões na cultura contemporânea. Londrina, Syntagma Editores, 2017. Disponible en: https://repositorio.uca.edu.ar/handle/123456789/14567
Resumen : Se a narrativa de Manuel Puig já se interrogava a respeito da influência da cultura de massas e os meios de comunicação sobre a sociedade, com o objetivo de questionar os papéis que um determinado imaginário social impõe aos indivíduos, seja por meio dos modelos e condutas de gênero assumidos por seus personagens, como pela maneira em que faz romper “todos os mitos básicos: desde o mito familiar até os da sociedade” (MONEGAL apud CORBATTA 1984, p. 594), uma série de novelas que César Aira publica nos anos noventa continua a exploração de estruturas que organizam nossa percepção do cotidiano desde os meios de comunicação que, igualmente aos modelos de conduta e os mitos sociais em Puig, estão dentro dos personagens. Desta mesma maneira, dois títulos de Alejandro López como A assassina de Lady Di e Queres foder? se incluem em algumas alternativas de alienação que podem produzir os meios. Esta linha de reflexão converge, desde a ficção, em uma novela publicada por Sergio Bizzio em 2009 com o título Realidade. Ali, um comando terrorista islâmico toma por assalto o estúdio de televisão, onde se desenvolve um reality show: Big Brother, situação que permite colocar em primeiro plano os lugares comuns que constroem um imaginário que alimenta e se alimenta do popular, e cuja profundidade é o choque entre a crença religiosa e um mundo que em sua maior parte renunciou a ela sem saber que se trata somente de uma substituição de mitologias se consideramos, com as palavras de Guy Debord (1967, p. 25), ao espetáculo como o pseudossagrado. Neste trabalho comentaremos, pois, brevemente, algumas destas novelas para nos atermos a mais recente e analisar as distintas plasmações do meio midiático e sua relação com o imaginário e o aspecto mítico ou religioso, considerando, como Gramsci, a religião como uma utopia que tenta reconciliar de maneira imaginária, mitológica, metafísica, as contradições sociais reais (DIANTEILL e LÖWY, 2009)...
URI : https://repositorio.uca.edu.ar/handle/123456789/14567
ISBN : 9788562592287
Disciplina: LITERATURA
Derechos: Acceso abierto
Appears in Collections:Libros/partes de libro

Files in This Item:
File Description SizeFormat
so-realidade-capaz.pdf316,31 kBAdobe PDFThumbnail
View/Open
so-realidade-capaz.jpg151,22 kBJPEGThumbnail
View/Open
Show full item record

Google ScholarTM

Check


Altmetric


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons